Diálogo sobre as perspectivas das teologias feministas (29/4/2017), em São Paulo

Nós do Coletivo por uma Espiritualidade Libertária convidamos para:

Diálogo sobre as perspectivas das teologias feministas“, no dia 29/4 (sábado) a partir das 9h30, com a presença de: Elaine Donda (teóloga e pesquisadora da Umesp) e Mabel Garcia (teóloga e pastora batista), e mediado por Angélica Tostes (do Espiritualidade Libertária).

O encontro iniciará pontualmente às 9h30 no salão paroquial da Igreja Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luis Antônio, 2071, São Paulo, SP (próximo ao metrô Brigadeiro).

A participação é gratuita. Pedimos apenas que confirmem a presença por e-mail (espiritualidadelibertaria@gmail.com) e colaborem com alguns quitutes ou frutas que serão partilhados durante o encontro.

2017_banner_apuel_170429.001

* * * *

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária anuncia o lançamento do primeiro número do informativo “Diálogos & Espiritualidade” (2017) que aborda a questão da intolerância religiosa. Essa publicação está no âmbito das atividades da Campanha Contra a Intolerância Religiosa e do projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”.

Diálogo sobre mitos femininos na pajelança e nas religiões afro-brasileiras (25/3/2017), em São Paulo

Nós do Coletivo por uma Espiritualidade Libertária convidamos para:

Diálogo sobre mitos femininos no xamanismo, na pajelança e nas religiões afro-brasileiras” no dia 25/3 (sábado) às 9h30.

Com a presença de: William Bezerra Figueiredo (pesquisador da Umesp) e mediado por Gabriela Veloso (do Espiritualidade Libertária).

Haverá também o lançamento do informativo “Diálogos & Espiritualidade”.

O encontro iniciará pontualmente às 9h30 no salão paroquial da Igreja Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luis Antonio, 2071, São Paulo, SP (próximo ao metrô Brigadeiro).

A participação é gratuita. Pedimos apenas que confirmem a presença por e-mail (espiritualidadelibertaria@gmail.com) e contribuam com quitutes ou frutas para partilharmos durante o encontro.

2017_banner_apuel_170325.001

* * * *

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária anuncia o lançamento do primeiro número do informativo “Diálogos & Espiritualidade” (2017) que aborda a questão da intolerância religiosa. Essa publicação está no âmbito das atividades da Campanha Contra a Intolerância Religiosa e do projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”.

“Diálogos & Espiritualidade”, informativo aborda a questão da intolerância religiosa

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária anuncia o lançamento do primeiro número do informativo “Diálogos & Espiritualidade” (2017) que aborda a questão da intolerância religiosa. Essa publicação está no âmbito das atividades da Campanha Contra a Intolerância Religiosa e do projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”.

O conteúdo está disponível e pode ser baixado através do seguinte link.

Conteúdo do informativo “Diálogos & Espiritualidade” (2017):
– Campanha Contra a Intolerância Religiosa e Projeto “Diversidade religiosa em sala de aula” (p. 3);
– Texto “As raízes do diálogo inter-religioso”, por Angélica Tostes (pp. 4-5);
– Depoimentos, informações e fotos (pp. 6-7);
– Entrevista com Sarah Ghuraba (muçulmana), por Silas Fiorotti (pp. 8-9);
– Entrevista com Patrício Araújo (candomblecista), por Silas Fiorotti (pp. 10-11);
– Texto “Enfrentando o preconceito como alternativa para a promoção da saúde”, por Eugênia Zilioli Iost (p. 12).

2017-fanzine-dialogos-e-espiritualidade-capa

Também há uma versão disponível do informativo “Diálogos & Espiritualidade” (2017) para impressão que pode ser baixada através do seguinte link.

* * * *

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária (de São Paulo) aceita convites para palestras voltadas para jovens, estudantes, educadores e religiosos. Entre em contato conosco para levar alguma palestra para sua instituição, empresa, escola, igreja, grupo de jovens ou coletivo. Para saber mais sobre a Campanha Contra a Intolerância Religiosa, leia o texto “É preciso dizer não à intolerância religiosa no Brasil” de Amauri Alves e Silas Fiorotti. E para saber sobre o projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”, leia o texto “Por que falar de religião em sala de aula?” de Silas Fiorotti.

Contato: espiritualidadelibertaria@gmail.com.

 

Enfrentando o preconceito como alternativa para a promoção da saúde (por Eugênia Zilioli Iost)

O trabalho da Atenção Básica de Saúde (Setor Público) no Brasil enfrenta vários desafios para promover uma população saudável. A UBS (Unidade Básica de Saúde) é a porta de entrada principal para os munícipes iniciarem as investigações das queixas físicas e mentais, aumentando com isso a complexidade no trabalho dos profissionais de saúde.

A visão que temos sobre a Saúde de uma população incide diretamente no processo de trabalho dos profissionais. De acordo com a linha teórica da Saúde Coletiva, os aspectos que podem influenciar no processo Saúde-Doença não são exclusivamente biológicos, a maneira como a sociedade se organiza, socialmente, economicamente e culturalmente, tem uma atuação potencialmente elevada no desenvolvimento das doenças.

Com base nessa teoria, a UBS Alpes do Jaraguá, no município de São Paulo, desenvolveu um projeto intitulado de “Alpes Diversidade”. Este projeto, pretende ampliar a visão de mundo dos profissionais de saúde e demais trabalhadores da Unidade (Segurança, Limpeza, Administrativo), sobre assuntos ligados aos direitos humanos. Em março de 2015, iniciamos rodas de conversa com todos os trabalhadores da UBS, sendo o primeiro tema “Racismo no Brasil”. O segundo tema deste projeto foi a “Intolerância Religiosa às religiões de matrizes africanas”.

Durante as rodas de conversa, contamos com um professor de filosofia que é líder no Candomblé e isso permitiu um aprofundamento sobre o assunto. Apresentamos também um documentário da ONU Brasil sobre o preconceito às religiões de matrizes africanas (ou religiões afro-brasileiras) no Brasil. Durante o debate, os participantes (principalmente cristãos), questionaram sobre os símbolos dessas religiões serem semelhantes à imagem do “demônio” e que se sentiam “mal” quando assistiam aos seus rituais. Estes apontamentos foram fundamentais para que a equipe condutora do Projeto pudesse esclarecer sobre as diferenças entre os símbolos religiosos e os seus significados nas religiões de matrizes africanas.

Foi possível também abordar sobre o modelo eurocêntrico, imposto ao Brasil desde a sua colonização e que o olhar sobre um culto religioso necessita de uma base cultural alinhada à religião específica.

Como gerente dessa UBS, pude observar que essas rodas de conversas, impulsionaram uma reflexão sobre os modelos e conceitos fundamentalistas da nossa sociedade, vários funcionários comentam que hoje estão vendo, por exemplo, as cotas raciais de outra maneira, pois entenderam que desde a libertação dos escravos esta foi a primeira ação de inclusão do negro no sistema de educação.

Esse projeto tem permitido evidenciar que é possível organizar um ambiente propício para a reflexão de temas inclusivos e que não importa onde estamos ou o que fazemos, o fundamental é sairmos da posição de expectadores e atuarmos como protagonistas das nossas vidas.

dsc_0050

Eugênia Zilioli Iost é gerente da UBS Alpes do Jaraguá, mestre em Enfermagem em Saúde Pública, e membro do Coletivo por uma Espiritualidade Libertária. E-mail: eugeniazilioli@yahoo.com.br.

* * * *

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária (de São Paulo) também aceita convites para palestras voltadas para jovens, estudantes, educadores e religiosos. Entre em contato conosco para levar alguma palestra para sua instituição, empresa, escola, igreja, grupo de jovens ou coletivo. Para saber mais sobre a Campanha Contra a Intolerância Religiosa, leia o texto “É preciso dizer não à intolerância religiosa no Brasil” de Amauri Alves e Silas Fiorotti. E para saber sobre o projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”, leia o texto “Por que falar de religião em sala de aula?” de Silas Fiorotti.

Contato: espiritualidadelibertaria@gmail.com.

No dia 14 de janeiro, ocorreu o evento Garage Underground em São Paulo

No dia 14 de janeiro, ocorreu o evento Garage Underground na Igreja Evangélica Refúgio Moriah, na zona sul da cidade de São Paulo. Além da apresentação das bandas Terceiro Dia e Living Fire, e da exposição e distribuição de fanzines, houve um momento de diálogo sobre a intolerância religiosa no Brasil.

O Coletivo por uma Espiritualidade Libertária esteve presente no evento dialogando sobre o tema e divulgando a Campanha Contra a Intolerância Religiosa. Agradecemos os organizadores e todos os participantes que dialogaram conosco e estão dispostos a combater a intolerância religiosa no meio evangélico.

* * * *

Nós, do Coletivo por uma Espiritualidade Libertária, apoiamos todas as iniciativas de combate à intolerância religiosa. No mês de janeiro de 2017, por conta do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa (dia 21), ocorrerão diversas atividades por todo o país.

Partilhe uma foto, partilhe uma mensagem, organize e/ou participe de alguma iniciativa contra a intolerância religiosa na sua cidade. Diga #nãoàintolerânciareligiosa!

2017_campanha-contra-int-rel-001

Para saber mais sobre a Campanha Contra a Intolerância Religiosa, leia o texto “É preciso dizer não à intolerância religiosa no Brasil” de Amauri Alves e Silas Fiorotti. E para saber sobre o projeto “Diversidade religiosa em sala de aula”, leia o texto “Por que falar de religião em sala de aula?” de Silas Fiorotti. Acompanhe também a Campanha Contra a Intolerância Religiosa no Facebook.

Informações: espiritualidadelibertaria@gmail.com.

2017 com espiritualidade contra toda injustiça!

Nós do Coletivo por uma Espiritualidade Libertária desejamos que, o ano de 2017, seja cheio de espiritualidade contra toda injustiça!

zxdfc59ltqqbe

Não deixe de participar, já no começo de 2017, da “Campanha Contra a Intolerância Religiosa” (2017), acompanhe também no Facebook.

Organize e/ou participe de alguma atividade contra a intolerância religiosa na sua cidade. Diga #nãoàintolerânciareligiosa!

Chamada para textos – Revista Espiritualidade Libertária (n. 5)

Espiritualidade Libertária é uma revista publicada pelo Coletivo por uma Espiritualidade Libertária de São Paulo (ISSN 2177-4331).

Surgida em 2010, seus números são temáticos, abertos à pluralidade de interpretações para compreensão dos fenômenos socioculturais relacionados à espiritualidade. Cada número também contempla uma seção livre voltada para trabalhos que não estejam diretamente relacionados com o tema. Seu campo de interesse compreende temas relacionados com teologia, filosofia, antropologia e áreas afins. Como norma geral, os artigos científicos, ensaios e resenhas devem ser apresentados para avaliação prévia da Comissão Editorial e submetidos a pareceristas do Conselho Consultivo.

Aceitamos preferencialmente trabalhos inéditos nos seguintes formatos: artigo científico, ensaio, resenha de livro, texto traduzido, e entrevista.

Os textos devem ser enviados ao e-mail da revista (espiritualidadelibertaria@gmail.com) até o dia 31 de janeiro de 2017.

2016-chamada-revista-n5-001

Dossiê: “Liev Tolstói & espiritualidade” (responsável: Alysson Aquino)

Liev Nicolaievitch Tolstói (1828-1910) foi um grande romancista russo, internacionalmente conhecido pelos clássicos “Guerra e Paz” e “Anna Karienina”, entre outros. Foi rico, um filho da aristocracia, e casou-se com Sófia Sônia Andrêievna Bers (1844-1919), com quem permaneceu casado por 48 anos e teve 13 filhos. No final de sua vida, ele experimentou mudanças radicais em seu pensamento e em suas práticas. Nesse período, Tolstói refletiu sobre diversas temáticas como a natureza, a vida no campo, o militarismo, os valores sociais, mas em todas elas é possível observar a presença de um eixo articulador: uma compreensão libertária do cristianismo. Assim, Tolstói questionou a autoridade das igrejas, dos governos e a noção de propriedade privada em textos de grande repercussão como “O reino de Deus está em vós”, de 1893. Sua prática espiritual sugeria um cristianismo capaz de negar o Estado a partir da resistência pacífica e de transformações morais individuais de caráter radical. O pensamento de Tolstói incentivou militantes de vários países, incluindo anarquistas brasileiros. Além disso, a força intelectual de suas elaborações alcançou diversos círculos intelectuais por muitos anos após a sua morte, tornando-o responsável pelo aparecimento de outros pensadores vinculados a certa tradição de matriz anarquista cristã.

A partir desse quadro, esse dossiê busca colaborações que façam conexões, das mais diversas perspectivas, entre a vida e a obra desse autor e suas concepções místicas e espirituais. Além disso, o dossiê também busca incorporar diálogos que apresentem práticas políticas, resistências pacifistas, experimentações educativas e pedagógicas, ações naturistas e reflexões ecologistas que tenham suas concepções influenciadas por esse brilhante pensador que foi Tolstói.